Male dentist, his assistant and female patient in dental practice

A influência da alimentação no tratamento de Câncer

Em outubro, a importância da prevenção do câncer de mama é muito lembrada devido às campanhas do OUTUBRO ROSA. Os profissionais de saúde e as grandes empresas fazem nessa época campanhas para incentivar a população a prevenção do câncer. Porém, nessa época vale também lembrar das pessoas que já estão em tratamento de qualquer tipo de câncer.

O tratamento dessa doença provoca diversos efeitos colaterais que interferem na alimentação e nutrição do paciente. A quimioterapia, a radioterapia e o próprio tumor causam perda de apetite, náuseas, vômitos, falta de salivação, dificuldade de mastigação, perda de paladar e aumento do metabolismo, fazendo com que a pessoa gaste mais energia e se alimente mal e em menor quantidade. Esse processo pode acabar levando o paciente a uma desnutrição.

Para amenizar esses efeitos colaterais os cuidados com a alimentação desse paciente deve ser redobrado. Por isso, vou passar algumas dicas que podem auxiliar na hora do tratamento.

  • Uma das primeiras mudanças que ocorre no organismo é a diminuição da salivação e redução da percepção aos gostos. Por isso, é interessante realçar o paladar do paciente, isso pode ser feito de duas formas, uma com o enxague da boca antes das refeições com água ou chá. E também com a utilização de temperos ácidos no preparo dos alimentos como manjericão, orégano, hortelã e outros temperos naturais. Assim conseguimos um paladar melhor e diminuímos o gosto metálico.
  • Para abrir o apetite e reduzir as náuseas, a dieta deve ser bem fracionada, ou seja, comer pouca quantidade várias vezes ao dia. Sempre comendo bem devagar e mastigando bem os alimentos.
  • As náuseas também podem ser reduzidas se o paciente não consumir alimentos muito quentes. A temperatura elevada dos alimentos pode desencadear náuseas após ou durante as refeições.
  • Os tumores produzem citocinas em maior quantidade o que faz com que o apetite do paciente fique reduzido. Para tentar amenizar a falta de apetite é interessante varias BEM o cardápio, oferecendo ao paciente alimentos que aumento o prazer na hora de se alimentar e evitando uma alimentação parecida no dia a dia.
  • O paciente em tratamento fica com o olfato realçado, o que faz com que os enjoos ao sentir o cheiro dos alimentos sejam mais frequentes, por isso é interessante que alguém cozinhe para o paciente diminuindo assim as chances de enjoos durante as refeições.
  • É importante o paciente com câncer cuidar muito bem do intestino, porque lá está presente as defesas do nosso corpo. Por isso, a dieta deve ser rica em fibras solúveis para evitar crises de diarreia, estimular a produção de células intestinais e melhorar a imunidade intestinal. Exemplo de fibras solúveis: maçã, pêra, banana, goiaba sem casca.
  • Ainda falando sobre intestino solto é interessante evitar alimentos gordurosos, leite e derivados, fibras insolúveis (grãos integrais, cascas, sementes e cereais em excesso).
  • A hidratação também é uma importante aliada no saúde intestinal e no combate a diarreia. Por isso é necessária uma excelente hidratação com sucos coados, chás e claro MUITA água.
  • Devemos sempre estar de olho no sistema imunológico do paciente com câncer, porque a tendência é ele estar enfraquecido. Por isso é bom evirar o consumo de alimentos crus, porque eles possuem um maior risco de contaminação por bactérias.
  • PROCURE O AUXILIO DE NUTRICIONISTA. Ele irá elaborar uma dieta adequada para que não haja desnutrição e nem aumento excessivo de peso. E caso seja necessário ele irá indicar uma suplementação adequada para garantir sua adequada nutrição durante o tratamento.

Vale lembrar que a PREVENÇÃO do CÂNCER deve estar sempre em primeiro lugar. Por isso, pratique atividade física, faça exames de rotina anualmente, tenha uma alimentação saudável e muita QUALIDADE DE VIDA.

 

Sabrina Lopes | CRN8 7548

ARTIGO PUBLICADO NO SITE ALIMENTE

Write a comment